Blog do Prof. Francisco de Assis Sousa

Saudade, o meu remédio é cantar! 30 anos sem o Rei do Baião.


Foto: Prof. Francisco de Assis Sousa30 anos sem a presença física de Luiz Gonzaga!
30 anos sem a presença física de Luiz Gonzaga!

Já se passaram três décadas desde que Luiz Gonzaga morreu. Mas, apesar do tempo, ele continua muito presente no cancioneiro brasileiro. De acordo com a Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), as composições do Rei do Baião são as mais executadas no período junino, entre maio e agosto, no país inteiro.

Luiz Gonzaga nasceu em 13 de dezembro de 1912 no município de Exú-PE, na Fazenda Caiçara, próximo ao povoado Araripe que fica a 12km da sede do município, 69 km do Crato e a 80 km de Juazeiro do Norte.

Foto: ReproduçãoLuiz Gonzaga e Humberto Teixeira, parceiros em grandes composições.
Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, parceiros em grandes composições.

O nome “Luiz” é uma homenagem a Santa Luzia, após o seu Pai Januário ter avistado uma estrela cadente muito luminosa no dia do seu nascimento.Foi o segundo filho da senhora, Ana Batista de Jesus Gonzaga do Nascimento e o oitavo de Januário José dos Santos do Nascimento. Luiz Gonzaga foi batizado no dia 5 de janeiro de 1920 na igreja matriz em Exú pelo padre José Fernandes de Medeiros.

Luiz Gonzaga foi um dos maiores compositores e representantes da música brasileira. Embora ele tenha sido extremamente popular no sertão nordestino, suas canções fizeram sucesso em todo país.

Seus gêneros musicais:

- Baião

- Forró pé-de-serra

- Xaxado

- Xote

- Quadrilha

- Xamego

- Arrasta pé

Luiz Gonzaga sofreu de osteoporose por vários anos. No dia 2 de agosto de 1989, na capital pernambucana, morreu de parada cardíaca, no hospital Santa Joana. Ele foi velado em Juazeiro do Norte, a contragosto do seu filho Gonzaguinha (in memoriam), que solicitou que o corpo do Rei do Baião fosse levado o mais rápido possível para Exu onde foi sepultado.

Deixe seu comentário