Após interdição da Praia de Atalaia, turistas migram para outros locais

Semar do Estado emitiu uma nota informando a interdição da praia

Foto: reprodução/BlogdoPessoa Após interdição da Praia de Atalaia, turistas migram para outros locais
Após interdição da Praia de Atalaia, turistas migram para outros locais

Desde as primeiras horas da manhã deste Feriado da Proclamação da República, equipes da Capitania dos Portos do Piauí, sob o comando do capitão Benjamin Dante Lima, atuam na limpeza de manchas de óleo que surgiram desde ontem (14), nas margens da Praia de Atalaia, em Luís Correia.

Segundo o capitão Dante, desde o dia 02 de setembro a Capitania dos Portos faz o monitoramento das praias do Piauí, sendo que até então nenhum perigo químico havia sido detectado. No entanto, com este novo episódio, eles começaram imediatamente a limpeza, contando com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente de Luís Correia (Semar) e do Corpo de Bombeiros.

“Em sua análise a Semar do Estado considerou a Praia de Atalaia imprópria para banho. Esta é uma medida preventiva para evitar o contato dos banhistas com este óleo que possivelmente pode trazer dados para a saúde ou para a pele”, informou.

Impacto direto no turismo

Na quarta-feira (14), a Semar do Estado emitiu uma nota informando a interdição da praia. A notícia de imediato provocou o esvaziamento de turistas na orla de Atalaia. Para os comerciantes que haviam se preparado para receber um grande público neste feriado, a decepção e prejuízo foram tremendos.

Uma vendedora de óculos e chapéu disse que ficou assustada ao chegar à praia e ver filas de carros e ônibus de excursão migrando para o Coqueiro e demais praias. “Esperávamos encontrar várias pessoas em Atalaia, mas para nossa decepção nos deparamos com esta notícia da interdição da praia. Somos autônomos e agora ficamos sem saber quando poderemos voltar a trabalhar”, lamentou a vendedora.

Comerciantes contestam nota da Semar

Em um áudio que circula em grupos de WhatsApp de Parnaíba e Luís Correia, a senhora Vânia, proprietária do Bar 70, conhecido empreendimento no litoral, desabafa e faz duras críticas ao governador Wellington Dias (PT), ao prefeito Kim do Caranguejo (PSB) e demais gestores públicos. Na análise dela, não há motivos para alardes.

“O governo estadual e municipal não investem no turismo do litoral do Piauí. Somos nós comerciantes que mantemos esta praia viva e agora somos apunhalados desta maneira”, desabafa.
 

Fonte: *Com informações do Blog do Pessoa

Deixe seu comentário