Aras faz menos trocas que Dodge nas chefias do Ministério Público Federal nos estados

Novo procurador-geral da República substituiu 15 dos 32 titulares de procuradorias da República, enquanto antecessora havia feito 21 mudanças. 'Diário Oficial da União' divulgou nomes nesta segunda.

Foto: Foto: reprodução O procurador-geral da República, Augusto Aras, durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado no último dia 25
O procurador-geral da República, Augusto Aras, durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado no último dia 25

O novo procurador-geral da República, Augusto Aras, decidiu fazer menos mudanças no comando das procuradorias regionais e estaduais da República do que a sua antecessora, Raquel Dodge, havia feito ao assumir o posto.

As trocas, publicadas nesta segunda-feira (30) no “Diário Oficial da União”, se referem a cargos comissionados que dependem da escolha de quem ocupa o posto máximo da Procuradoria Geral da República.

Aras trocou 15 dos 32 chefes titulares das procuradorias da República das 5 regiões e das 27 unidades da federação. Os outros 17 permanecerão no cargo.

Em 2017, dias após assumir como procuradora-geral da República, Raquel Dodge manteve somente 11 dos chefes da procuradoria nas regiões e nos estados, e trocou outros 21 — a mudança foi de quase dois terços do total.

Dentre os procuradores que permanecerão no comando de equipes após Aras assumir, está Ailton Benedito de Souza, que chefia a Procuradoria da República em Goiás.

Na edição desta segunda-feira do "Diário Oficial da União", a mesma em que Benedito de Souza é renomeado para o cargo que já ocupava, ele foi nomeado para a função de Secretário de Direitos Humanos e Defesa Coletiva.

Fonte: G1

Deixe seu comentário