Bolsonaro aceita bem dieta cremosa e haverá redução da alimentação na veia, diz boletim médico

Presidente recomeçou a alimentação cremosa na noite de sábado, após sete dias internado.

Foto: Reprodução / web O médico Antônio Macedo e o porta-voz Rêgo Barros falam sobre a situação clínica de Jair Bolsonaro
O médico Antônio Macedo e o porta-voz Rêgo Barros falam sobre a situação clínica de Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), que se recupera há sete dias de uma cirurgia realizada no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, aceitou bem o início da dieta cremosa iniciada na noite de sábado (14), quando ele recebeu uma sopa de mandioquinha.

Neste domingo (15), Bolsonaro tomou café da manhã, com chá gelatina e creme de frutas. Até então, ele estava se alimentando apenas de dieta líquida desde sexta-feira (13). De acordo com a assessoria do presidente, à tarde, Bolsonaro caminhou e assistiu ao jogo entre Corinthians e Fluminense.

Agora, haverá redução do volume da alimentação parenteral (que ele recebe na veia). O presidente continua tendo melhora progressiva nas funções intestinais.

"O Hospital Vila Nova Star informa que o Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, continua apresentando melhora clínica progressiva. Permanece sem dor, afebril e com melhora dos movimentos intestinais. Mantida a dieta cremosa com boa aceitação e, hoje, daremos início a redução do volume da alimentação parenteral (endovenosa). Persiste com fisioterapia respiratória e motora, caminhando frequentemente pelo corredor. As visitas seguem restritas", diz o boletim divulgado neste domingo.

Segundo o porta-voz da presidência, Otávio Rêgo Barros, os exames do presidente estão normais e, assim que ele tiver a dieta baseada apenas em alimentos, poderá ter alta médica.

"Hoje, a nutrição parenteral será reduzida. No final da tarde, o médico vai analisar se pode passar pra dieta pastosa. Passando para pastosa e tirando a nutrição parenteral, o presidente pode ter alta", disse Rêgo Barros.

“Os médicos saíram do quarto do presidente vivamente impressionados com a recuperação do presidente, como ele vem recebendo bem essa modificação de ingestão calórica e o passo, a ultrapassagem dessa fase de cremosa para pastosa definirá, junto com outros parâmetros também, a saída do nosso presidente aqui do hospital. Estamos, enfim, bastante satisfeitos com a evolução do presidente, esperamos que ele no prazo mais próximo possível nós tenhamos a saída”, acrescentou.

"O presidente está com ânimo excelente", salientou.

Viagem a NY

O porta-voz salientou que o cirurgião responsável pela recuperação de Bolsonaro, Antonio Luiz Macedo, disse que a equipe médica se dispôs a ir a Brasília avaliar as condições do presidente antes dele possivelmente viajar para a Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, no dia 24 de setembro.

"A equipe médica se dispôs a ir a Brasília para avaliar, antes da viagem à Nova York. Estamos mantendo o planejamento com bastante esperança que se realize efetivamente", disse Barros, sobre a possibilidade de Bolsonaro ir à abertura do evento da ONU.

Retirada da sonda

Bolsonaro teve retirada a sonda nasográstica na sexta-feira (13), quando voltou a receber dieta líquida. Até então, ele vinha se alimentando apenas por dieta endovenosa.

Neste domingo, o presidente está acompanhado da primeira-dama, Michele Bolsonaro, e do filho, Carlos. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, esteve no hospital, mas não conseguiu conversar com o presidente.

Esta foi a quarta operação desde a facada sofrida por ele durante a campanha eleitoral de 2018. Desta vez, o objetivo era corrigir uma hérnia (saliência de tecido) surgida no local das intervenções anteriores.

Desde domingo (8), o vice-presidente Hamilton Mourão ocupa o cargo de presidente da República de forma interina.

Às 19h desta quinta (12), Bolsonaro fez uma live no Facebook e falou pela primeira vez desde que passou pela cirurgia de hérnia.

Fonte: G1

Deixe seu comentário