Bruna Hamú abre o jogo sobre maternidade: 'Já senti culpa por não encontrar a magia que dizem'

Dedicada ao filho Julio, de 2 anos, a atriz fala sobre a volta ao trabalho, em 'A Dona do Pedaço', depois de quase três anos longe de novelas

Foto: Foto: reprodução Julio é o primeiro filho de Bruna Hamú, o menino tem dois anos de idade
Julio é o primeiro filho de Bruna Hamú, o menino tem dois anos de idade

Bruna Hamú se encontrou na maternidade. Mãe coruja, ela se emociona quando o assunto é o filho, Julio, de 2 anos, da união com o empresário Diego Moregola. A gravidez não planejada, aos 26, virou a vida da atriz, na época no ar em A Lei do Amor, de cabeça para baixo. Mas ela encarou com coragem o desafio.

"Já senti culpa por não encontrar a magia que dizem. No primeiro mês, chorei por três semanas seguidas. Os hormônios enlouquecem e até você entender o que está acontecendo, leva tempo", confessa a atriz.

Maternidade real

"Quando o bebê nasce, a gente perde nossa identidade. Durante o puerpério (período de 45 a 60 dias após o parto) senti muito isso. Foi a fase mais difícil. O primeiro mês foi o mais difícil de todos. Estava completamente vulnerável, meus hormônios à flor da pele, eu chorava o tempo todo, não sabia o que estava acontecendo. Engravidei no susto e minha vida mudou radicalmente. Sempre fui independente, fazia as minhas coisas, trabalhava, viajava... e, de repente, estava com um bebê completamente dependente de mim, que não me deixava dormir, tomar banho e nem escovar os dentes (risos). Esta parte difícil ninguém te conta. Só se ouve dizer que é tudo muito mágico. Sentia até culpa por não enxergar esta beleza toda. A maternidade real não é esta magia. Tem todo um lado emocional que bate".

Coisas de casal

"Dizem que filho une o casal, mas não é bem assim. Quando se tem uma relação sólida, os dois têm muita segurança do que querem, um filho é uma benção gigantesca. Mas é preciso muita paciência e conversa. A relação fica sim, abalada. Não existe mais a mesma disponibilidade e energia de antes. E, para o homem, é mais difícil de entender. O Diego é um pai maravilhoso, participativo e que ama criança. Mas, como todos os casais, tiveram momentos em que foi preciso sentar e conversar. O homem só entende que é pai quando o bebê nasce e, ainda assim, tem um processo. Já a mulher, vive desde a gestação, é outra cabeça, outro sentimento".

Foto: Foto: reproduçãoBruna com o marido, Diego Moregola, e Julio, no dia de seu casamento, em julho de 2019
Bruna com o marido, Diego Moregola, e Julio, no dia de seu casamento, em julho de 2019

Amor maior

"Não penso mais em mim, só nele. Vivo para o meu filho. O Julio me transformou completamente. Sou outra pessoa. A gente acha que um bebê vai nascer e que temos muito para ensinar, mas é o contrário, foi ele que me ensinou. Me reconectei com a inocência perdida na infância. São resgates e aprendizados diários. Ainda mais quando não tem a ajuda de ninguém, é um pânico. Eu tive a minha sogra nos primeiros meses, que deu uma aliviada, mas nunca tive babá. Sempre fiquei muito com o Julio sozinha", revela Bruna, que se casou com Diego quando o filho do casal tinha um ano e dois meses.

Homenagem

"Julio é o nome do pai do meu marido, que faleceu. E ele sempre quis colocar este nome. Eu queria algo curto, forte e não tão comum. No começo fiquei meio assim, continuei pesquisando possibilidades, mas não encontrei nenhum que realmente tivesse gostado. E de tanto o Diego falar, fui aceitando a ideia. Hoje, já olho para meu filho e acho que tem cara de Julio. Não consigo imaginá-lo com outro nome".

Novo herdeiro

"Quero dar um irmão para o Julio. Tenho uma irmã, a Natália, que acho fundamental na minha vida. Quando a gente era mais nova, brigávamos muito, mas hoje em dia não. É bom saber que sempre terá alguém por perto quando precisar e nos apoiar. Se eu pudesse, já teria outro bebê para ir criando junto de uma vez. A função é uma só, mas vou trabalhar primeiro. A minha prioridade agora é a carreira".

Volta ao trabalho

"Estou muito feliz de poder voltar, amo o que eu faço. Mas dói! Vou dizer que é difícil na hora de dar tchau. Ainda mais eu, que fiquei dois anos grudada ali, dá uma saudade... Mas é importante para nós dois. Sei que é clichê, mas é um grande presente estar em A Dona do Pedaço, novela das 9 e do Walcyr Carrasco, com direção de Amora Mautner, pessoas geniais. Sem contar com o elenco! Juliana Paes, Caio Castro, Laura Cardoso... Estão todos sendo muito generosos comigo".

Insegurança

"Nossa, fiquei bastante insegura. Foram três anos fora, né? Comecei a pensar em voltar ao trabalho há mais ou menos um ano, mas dá medo, porque o trabalho de ator é incerto, a gente nunca sabe o que vai ser. Por isso, digo que estou muito grata. Foi um convite inesperado, mas já estava ali com minhas orações para voltar ao mercado. Pedido atendido".

Foto: Foto: reproduçãoBruna Hamú e o pequeno Julio, aos 5 meses
Bruna Hamú e o pequeno Julio, aos 5 meses

Aguenta coração!

"Moro em São Paulo e Julio está lá, com o pai. Venho para o Rio de Janeiro, gravo a semana inteira e quando dá, no fim de semana, volto. Quando gravo no sábado, não dá. Tentei matar a saudade por chamada de vídeo, mas é difícil, porque ele não entende. Acho que é pior, porque ele me vê, chora e eu fico mal. E para ele é difícil, porque o papai vai trabalhar e volta e a mamãe? Ele não conseguiu assimilar".

Fonte: Gshow

Deixe seu comentário