Ceir orienta sobre marcação de consultas online

O novo procedimento facilita o acesso aos serviços de reabilitação desenvolvidos no Centro

A marcação de atendimento para o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), desde março de 2012, acontece através do sistema online do Sistema Único de Saúde (SUS). O novo procedimento facilita o acesso aos serviços de reabilitação desenvolvidos no Centro, já que os pacientes não precisam mais se deslocar até a sede do Ceir para agendar a consulta-triagem.



A mudança é uma determinação do Ministério da Saúde. Para reforçar as orientações sobre os novos procedimentos, o Ceir enviou ofício a todas as Secretarias Municipais da Saúde, informando o passo a passo para a marcação da triagem. As informações também estão disponíveis no site do Ceir.



A supervisora do Serviço de Arquivo Médico e Estatística (Same) do Ceir, Bruna Lustosa, explica que, apesar de ser bem mais prático, a nova organização do serviço de marcação de consultas ainda não foi bem compreendida em alguns postos de saúde e secretarias municipais de saúde.



“Já recebemos pessoas encaminhadas de cidades distantes do interior do Piauí, que não precisavam ter vindo à sede para marcar consultas, além de recebermos pacientes que, também, não se encaixam no perfil dos atendimentos oferecidos pela instituição. É um transtorno para as famílias, que precisa ser evitado”, disse.



Bruna ressalta que, com a mudança, o acesso à reabilitação física do Ceir passa a ser através da marcação da triagem. Os pacientes de Teresina, por exemplo, só precisam procurar o Posto de Saúde mais próximo de sua residência, já os pacientes do interior devem procurar a Secretaria da Saúde de seu município, para solicitar a marcação do primeiro atendimento no Ceir.



O sistema do SUS já vai fornecer o dia e a hora da primeira triagem, que é realizada por médico, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e assistente social.



Só devem ser encaminhadas para o Ceir pessoas com deficiência física e/ou motora para atendimentos de reabilitação física.



“Nós queremos sensibilizar as Secretarias Municipais de Saúde para proporcionarem capacitações para os servidores que operam o sistema de marcação online do SUS. Não é justo que as pessoas com deficiência se desloquem do interior para Teresina e não sejam atendidas porque a marcação online foi feita de forma equivocada”, avisa Bruna.

Deixe seu comentário