Cientista autodidata voa em foguete caseiro para descobrir se a Terra é plana

Durante a decolagem, a máquina acelerou aproximadamente 600 quilômetros por hora

Foto: Reprodução/Youtube Mike Hughes, de 61 anos, acredita que a Terra é plana e junto de pessoas que defendem a mesma teoria, desenvolve missões
Mike Hughes, de 61 anos, acredita que a Terra é plana e junto de pessoas que defendem a mesma teoria, desenvolve missões

O engenheiro aeronáutico amador e ex-motorista de limusine, Mike Hughes, construiu um foguete na garagem de sua casa e se lançou a bordo para provar a teoria de que a Terra é plana. De acordo com o Mirror, o americano de 61 anos cumpriu a missão no último sábado (24), após ter adiado a viagem, que ocorreria em novembro do ano passado .



O lançamento do foguete aconteceu por volta das 15h em um terreno no meio do deserto de Mojave, na Califórnia, alcançando uma altitude de 570 metros. Apesar de várias perspectivas negativas, o experimento foi bem-sucedido. Depois da missão, o homem foi atendido por paramédicos devido a fortes dores nas costas causadas pelo impacto sofrido na hora do pouso.



A missão e próximos passos



Durante a decolagem, a máquina acelerou aproximadamente 600 quilômetros por hora (km/h) em direção ao céu. Entretanto, ao atingir tamanha velocidade, passou a cair, acionando o sistema de paraquedas, que diminuiu a força, rompendo o ‘nariz’ do foguete.



“Eu estou feliz por ter conseguido realizar parte da missão. Estava cansado de me falarem que eu iria desistir e que não conseguiria construir o foguete caseiro. A sensação de alívio é grande”, disse ao canal americano Sky News .



Ainda sem conseguir provas sobre a teoria que defende, o ‘cientista autodidata’ contou com a ajuda de “terraplanistas”, que, assim como ele, acreditam que o planeta Terra seja como um disco. Com investimento de R$ 65 mil na construção da primeira máquina, Hughes expõe querer continuar o projeto, já que permanece com dúvidas sobre o formato do planeta.



Ele explica que, devido aos problemas técnicos ao longo do percurso, não foi possível alcançar os 12 mil metros necessários para identificar se a Terra é redonda ou não. “A ideia é continuar com o projeto, e dessa vez, contratar outros engenheiros para construir um foguete mais potente. Continuarei buscando descobrir se a Terra é plana ou não”, conclui Mike.

Deixe seu comentário