Coordenadoria das Mulheres lança campanha contra assédio durante o Carnaval

A campanha “Só se eu quiser… #nãoénão” será lançada na segunda (10) em Teresina.
Por Redação* 7 de Fevereiro de 2020 às 15:33

Foto: Reprodução \ Web Imagem da campanha divulgada
Imagem da campanha divulgada

“A campanha, Só se eu quiser…#nãoénão, reforça que o corpo da mulher não é público e sua vontade deve ser respeitada.”, destaca a coordenadora-geral da CEPM, Zenaide Lustosa. A campanha, “Só se eu quiser… #nãoénão”, visa informar à sociedade sobre a importância do corpo e a vontade das mulheres serem respeitadas durante a manifestação cultural de Carnaval. Durante este período, os crimes de violências sexuais, físicas ou psicológicas são intensificados e as mulheres relatam a violência, mas não fazem um registro oficial devido ao acontecimento ser feito durante a festa de Carnaval.

A Coordenadoria Estadual de Políticas para as Mulheres (CEPM-PI) lança a campanha na segunda-feira (10), às 10h, na praça Rio Branco, no Centro de Teresina. O Carnaval de 2020 será o primeiro com a vigência da Lei da Importunação Sexual (13.718/2018), em vigor desde setembro do ano passado, que tipificou o crime de assédio à pena de 1 a 5 anos de prisão ao agressor.

De acordo com Ellen Costa, diretora de Planejamento e Gestão da CEPM, “as mulheres durante as festividades carnavalescas devem registrar o boletim de ocorrência em caso de violência, pois a lei 11340/2006 (Maria da Penha) e o número 180 continuam, nesta época, disponíveis para assistir às mulheres. Assim, a Coordenadoria de Estado de Políticas para as Mulheres destina esta campanha a todas as mulheres nas diversas idades, gênero, classe e raça que estarão participando das prévias carnavalescas nos municípios do estado”.

As ações serão de forma educacional e preventiva em Teresina e outros municípios do estado. Serão montados estandes com os serviços da CEPM, OAB/PI, Cojuv, Cendrogas, Detran, Sesapi e Defensoria Pública. Os locais e eventos contemplados com a ação voltada especificamente para as mulheres serão: Praça Rio Branco, Mercado do Parque Piauí, Praça da Bandeira, Corso de Teresina, Mercado do São Joaquim, Mercado da Piçarra e Terminal Rodoviário Lucídio Portela. Entre os municípios que receberão as atividades estão Água Branca, São Raimundo Nonato, Oeiras e Campo Maior.

Um dos grandes desafios da luta contra a violência às mulheres, não somente durante o Carnaval, é estimular as mulheres a quebrarem os diversos silêncios durante uma violência. Romper esta barreira para falar de traumas geralmente não é imediato, requer a certeza que será assistida pelos órgãos públicos e familiares.

A maioria das vítimas de violência, durante o período do Carnaval, sente medo e vergonha de relatar assédios e abusos. O assédio é muito debatido há tempo, mas esse vai ser o primeiro Carnaval depois da alteração no Código Penal que criou um tipo específico de crime para determinadas condutas que eram comumente praticadas contra as mulheres.

Fonte: *Com informações da CCom

Deixe seu comentário