Cresce o número de ciclistas em Teresina durante a pandemia

Atletas amadores escolheram a prática ao ar livre para ter mais saúde e qualidade de vida nesse período.

Foto: Reprodução/ Internet Cresce o número de ciclistas em Teresina durante a pandemia.
Cresce o número de ciclistas em Teresina durante a pandemia.

A pandemia alterou os hábitos de muitos teresinenses. Com mais tempo livre, muitos incluíram na rotina a prática de atividades físicas. O ciclismo foi o grande destaque, o número de adeptos das pedaladas cresceu significativamente nesse período.

Para os novos praticantes, a atividade foi uma maneira de fazer atividade física de forma segura e ao ar livre, já que as academias estavam fechadas. Os atletas amadores também escolheram a modalidade para ter mais saúde e qualidade de vida em tempos de isolamento social. 

É o caso da família da Cristina Moura. Durante a pandemia, ela, o esposo e as duas filhas começaram a pedalar. “Escolhemos por que é algo que poderíamos fazer juntos e traz uma sensação de liberdade, alegria, parceria”, revela a pedagoga.

Em apenas três meses de pedaladas diárias, os benefícios são percebidos por toda a família. ‘Fortaleceu nosso relacionamento como família, melhorou a respiração, a resistência e aumentou nossa energia”, comemora.

No último mês, a Houtson Bike e Audax, fábricas de bicicletas do Grupo Claudino, chegaram a aumentar o número de colaboradores por conta do aumento da demanda.  

“Nestes 20 anos de história no mercado de bicicletas, presenciamos algo nunca visto a nível mundial. Os primeiros 90 dias de pandemia transformaram completamente a realidade deste mercado, que antes produzia uma quantidade para suprir a demanda e gerar estoque, e agora precisa lidar com a escassez de matérias primas. Apesar disso, houve um grande aumento no número de empregos deste seguimento e ambas as fábricas aumentaram seu quadro de funcionários no último mês. Com toda certeza, esse momento histórico irá deixar um legado no mundo das bicicletas”, explica o diretor administrativo, Elias Nogueira.

Deixe seu comentário