Estudantes são investigados por mensagens com ameaças a judeus no Ceará

Conteúdo publicado nas redes sociais dos suspeitos fazia menção a ataque a uma sinagoga judaica no estado.
22 de Janeiro de 2020 às 10:06

Foto: Reprodução/ G1CE Em mensagens em redes sociais, estudantes faziam ameaças a judeus no Ceará
Em mensagens em redes sociais, estudantes faziam ameaças a judeus no Ceará

Um grupo de quatro estudantes cearenses é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) por suspeita de crime de intolerância religiosa. Os suspeitos postaram, na quarta-feira (15), mensagens em redes sociais com conteúdo preconceituoso contra a comunidade judaica no Ceará, incluindo ameaça de ataque a uma edificação judaica em Fortaleza.

As informações foram divulgadas nesta terça-feira, 21 de janeiro, Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.

Em uma das postagem, um usuário comentou que existe uma sinagoga no Ceará e sugere: "Vamo meter o atentado lá". Em seguida, um outro usuário escreve: "nunca é tarde pra melhorar o mundo, vamos". Uma outra pessoa acrescenta: "me leva quero ver".

As equipes da polícia localizaram os suspeitos e os intimaram a comparecer à sede do departamento na sexta-feira (17). Em depoimento, os investigados afirmaram que os comentários eram "brincadeira".

"Quando eles viram que aquela 'suposta' brincadeira virou caso de polícia, eles disseram que não tinham a intenção de cometer ataques mencionados na postagem, que não tiveram má-fé. As pessoas costumam acreditar que certas atitudes na internet não levam a nada, mas a Polícia Civil do Ceará mostra que não existe anonimato no ambiente virtual", alertou a delegada titular da 4ª Delegacia do DHPP, Patrícia Sena.

Um inquérito policial foi instaurado e os estudantes foram indiciados pelos crimes de ameaça e racismo. A pena prevê reclusão de dois a cinco anos e multa.

Dia de Combate à Intolerância Religiosa

Instituído em 2007 pela lei número 11.635 o dia 21 de janeiro é o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.

A data é uma homenagem à Mãe Gilda, Iyalorixá que foi vítima de intolerância religiosa no fim de 1999. A data também faz alusão ao Dia Mundial da Religião e tem o objetivo de promover o respeito, a tolerância e o diálogo entre as diversas religiões.

Fonte: Com informações do G1CE

Deixe seu comentário