Ex-líder da extrema-direita da Áustria abandona a política

Nas últimas eleições legislativas, realizadas no domingo (29), a extrema-direita austríaca recebeu 16% dos votos, 10 pontos percentuais a menos do que na votação anterior.

Foto: Foto: reprodução Heinz-Christian Strache durante entrevista coletiva em Viena, no dia 1 de outubro de 2019
Heinz-Christian Strache durante entrevista coletiva em Viena, no dia 1 de outubro de 2019

O ex-líder do partido FPO (extrema-direita austríaca), Heinz-Christian Strache, anunciou nesta terça-feira (1) que se retira da vida política para não prejudicar seu partido.

Ele comandou a sigla durante 14 anos até sua renúncia, em maio, por um escândalo de corrupção,

A decisão acontece após a derrota do FPO nas legislativas de domingo (29), nas quais o partido recebeu 16% dos votos, 10 pontos porcentuais a menos que em 2017, quando as urnas levaram ao poder a extrema-direita em uma aliança com a direita de Sebastian Kurz.

Strache, 50 anos, pode ser obrigado a deixar o partido enquanto é investigado.

O político foi filmado em 2017 com uma câmara escondida na ilha espanhola de Ibiza quando apresentava propostas de negócios no setor público a uma mulher que se fez passar por neta de um oligarca russo. Strache teve que renunciar em maio a todos os cargos, incluindo o de vice-chanceler de Kurz.

O caso conhecido como "Ibizagate" afundou o governo e a Áustria convocou eleições antecipadas, organizadas no domingo passado.

Strache também é suspeito de ter usado dinheiro público para gastos pessoais, informações divulgadas pouco antes das eleições e que sem dúvida contribuíram para a derrota do partido.

Fonte: G1

Deixe seu comentário