Guarda Municipal começa à monitorar 57 mulheres vítimas de violência

O serviço é mais um mecanismo importante para a proteção de mulheres em toda a capital.

Foto: PMT Serão acompanhadas as mulheres que tiveram a decisão judicial de medida protetiva homologada antes do período de isolamento
Serão acompanhadas as mulheres que tiveram a decisão judicial de medida protetiva homologada antes do período de isolamento

Começou nesta segunda-feira (01), as visitas realizadas pela Guarda Maria da Penha, que acompanham e monitoram, através de medidas protetivas às mulheres vítimas de violência doméstica em Teresina. O acompanhamento é realizado pelo Centro de Referência Esperança Garcia (CREG).

Ao todo, são 57 mulheres que recebem proteção. Dentre elas, estão as mulheres que tiveram a determinação judicial homologada antes do período de isolamento. Segundo a secretária Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM), Macilane Gomes, o serviço é mais um mecanismo importante para a proteção de mulheres em toda a capital.

“Agora, com o acompanhamento da Guarda, teremos um trabalho de proteção especial às mulheres com medidas protetivas. Existe toda uma articulação da rede de atendimento, e esse serviço vem fortalecer essa rede de proteção. O acompanhamento vai acontecer de forma assistemática. Por dia, foi programada a visita da equipe a oito mulheres, no horário de 8h às 20h”, explica a secretária.

O projeto Guarda Maria da Penha é coordenado pela SMPM e Secretaria de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). A equipe é composta por dois guardas, um homem e uma mulher, que foram capacitados para a realização do trabalho. Além do monitoramento às mulheres vítimas de violência, outra novidade é a extensão do teleatendimento realizado pelo Centro de Referência Esperança Garcia (CREG).

Segundo a coordenadora do CREG, Roberta Mara, diante dessa situação de isolamento social, o órgão teve um aumento na procura dos serviços. “Já tínhamos essa proposta de atender nos dois turnos, por conta da alta demanda. A partir de agora, nossas profissionais estão realizando atendimentos e orientando as mulheres no período da manhã, tarde e também aos finais de semana”. Explica.

O Centro de Referência Esperança Garcia atende mulheres em situação de violência em Teresina, oferecendo assistência social, psicológica e jurídica. Durante o período de isolamento, a unidade realiza atendimentos por ligações ou via Whatsapp pelo telefone (86) 9 9416-9451, de segunda à sexta e aos finais de semana nos turnos manhã e tarde.

Deixe seu comentário