Homem mata mulher e fere outra em Sydney

As vítimas foram atacadas com uma faca pelo agressor, que já foi detido e identificado pela polícia; a segunda mulher tem condição estável, segundo as autoridades. Incidente foi nesta terça-feira (13). Não há suspeita de ato de terrorismo.

Foto: Reprodução / Internet Mulher é levada para um hospital em Sydney, na Austrália, depois de ser esfaqueada nesta terça-feira (13) por um homem que tentou atingir várias pessoas no centro da cidade.
Mulher é levada para um hospital em Sydney, na Austrália, depois de ser esfaqueada nesta terça-feira (13) por um homem que tentou atingir várias pessoas no centro da cidade.

Um homem atacou, com uma faca, duas mulheres em Sydney, na Austrália, nesta terça-feira (13). Uma das vítimas morreu e a outra está em condição "estável", segundo veículos de imprensa internacionais. O suspeito já foi detido e identificado pela polícia, que não trata os incidentes como um ato terrorista.

A primeira vítima, de 21 anos, morreu em um apartamento próximo ao centro comercial da cidade. Depois, o suspeito saiu correndo pela rua e tentou atacar outras pessoas. A segunda vítima, uma mulher de 41 anos, foi então atingida. Ela foi levada para o hospital.

Imagens divulgadas por meios de comunicação australianos mostram um homem pulando em cima de um veículo com uma faca e aos gritos de "Allahu Akbar" ("Alá é grande") e "Atirem em mim!"

Antes de ser detido formalmente pela polícia, o suspeito foi contido por pedestres, que usaram cadeiras e um engradado de leite para segurá-lo até a chegada das autoridades. As imagens foram publicadas em redes sociais.

A morte da primeira mulher, cujo corpo só foi encontrado depois que a polícia deteve o suspeito, está sendo tratada como relacionada ao segundo ataque.

O comissário de polícia de Nova Gales do Sul, Mick Fuller, disse que o autor dos ataques tinha material em seu poder que sugeria que ele tinha "ideologias relacionadas ao terrorismo", mas nenhuma ligação aparente com organizações terroristas.

Segundo o jornal "Sydney Morning Herald", foram apreendidos um telefone e um pen drive contendo informações sobre massacres e atos violentos de supremacia branca nos Estados Unidos e na Nova Zelândia.

A polícia afirmou que o suspeito, depois identificado como Mert Ney, de 21 anos, tem um histórico de transtornos mentais. Ele também foi levado para o hospital, com ferimentos leves, e deve enfrentar acusações depois de ser formalmente questionado.

Fonte: G1

Deixe seu comentário