IPCA de maio fica em 0,13%, menor resultado para o mês desde 2006

O IBGE ressalta o aumento da oferta de alimentos com grande peso na cesta básica no mês, com a colheita de tomate, frutas e da segunda safra do feijão.

Foto: Reprodução / Internet PIB: Para 2019, o mercado reduziu marginalmente a previsão de alta do PIB, de 2,55% para 2,53%
PIB: Para 2019, o mercado reduziu marginalmente a previsão de alta do PIB, de 2,55% para 2,53%

A inflação oficial no Brasil, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,13% em maio, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, 07, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado é o menor para o mês desde 2006, e foi influenciado pela deflação de 0,56% no preço dos alimentos e bebidas. 

O índice de maio é 0,44 ponto percentual menor do que o registrado no mês anterior, quando a inflação havia ficado em 0,57%, o maior nível para o mês em três anos, por conta dos preços dos medicamentos.

No ano, o IPCA acumula alta de 2,22%. Já nos últimos 12 meses, atinge 4,66%, acima do centro da meta estipulada pelo pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 4,25%, mas ainda dentro do intervalo de tolerância, que vai de 2,75% a 5,75%.

O IBGE ressalta o aumento da oferta de alimentos com grande peso na cesta básica no mês, com a colheita de tomate, frutas e da segunda safra do feijão. 

Depois de subir 28,64% em abril, dentro do grupo de alimentos e bebidas, o tomate caiu 15,08% em maio, destaca o IBGE. Já o feijão-carioca, que acumula alta de 62,07% no ano, acentuou a queda em relação ao mês anterior, passando de -9,09% para -13,04%.

Em relação às frutas, a deflação notada de abril para maio foi acelerada de -0,71% para -2,87%.

Fonte: MSN

Deixe seu comentário