Maia diz que só procura PT quando partido "se resolver" sobre eleição na Câmara

Maia estava em conversas avançadas com setores do PT, mas a articulação desandou após o PSL anunciar apoio à reeleição do deputado do DEM.

Foto: Alex Ferreira O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, durante encontro com centrais sindicais em junho
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, durante encontro com centrais sindicais em junho

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reagiu às declarações da presidente do PT, senadora e deputada eleita Gleisi Hoffmann, de que o partido não apoiará a reeleição dele em fevereiro.

"A Gleisi diz que não vai me apoiar. Então, enquanto o PT não se resolver, eu não procuro mais o partido", afirmou.

"Eu não posso tratar do apoio com a presidente de um partido que não quer meu apoio. Eu acho que a constituição da Casa é a governabilidade de todos. A outra coisa que eu disse é que, no bloco com o PSL, o PT não vai fazer parte", acrescentou.

Maia estava em conversas avançadas com setores do PT, mas a articulação desandou após o PSL anunciar apoio à reeleição do deputado do DEM.

O PSL é o partido do presidente Jair Bolsonaro, ao qual o PT faz oposição.

Maia ainda tentou conversas com parlamentares do PT simpáticos à sua candidatura, mas a presidente do PT, deputada federal eleita Gleisi Hoffmann, atacou publicamente o apoio do PSL – e já avisou aliados que vai recorrer se a bancada fechar apoio a Maia.

O presidente da Câmara fechou nesta quarta-feira (9) o apoio do Avante – e contabiliza 12 partidos no seu bloco. Com isso, teria maioria para se eleger em primeiro turno – se todos os deputados seguirem a ordem das siglas.

Deixe seu comentário