Maranhão é o 8º maior produtor de mel do Brasil

O crescimento da produção de mel apresentou o maior crescimento médio: 24,5% ano ano.

Foto: Reprodução / O Imparcial O Maranhão ganhou 10 posições no ranking dos maiores produtores de mel do Brasil, saindo da 18ª colocação, em 1998, para a 8ª, em 2018.
O Maranhão ganhou 10 posições no ranking dos maiores produtores de mel do Brasil, saindo da 18ª colocação, em 1998, para a 8ª, em 2018.

Uma pesquisa do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) fez uma análise sobre a pecuária municipal no Maranhão entre os anos de 1998 e 2018.

A Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) reuniu informações sobre os rebanhos, criação de algumas espécies da aquicultura e a geração de produtos de origem animal, como mel.

O que chamou a atenção foi o crescimento da produção de mel apresentou o maior crescimento médio: 24,5% ano ano, levando a produção de 28.465 kg em 1998 para 2.261.672 kg em 2018.

Com base nesse resultado, o Maranhão ganhou 10 posições no ranking dos maiores produtores de mel do Brasil, saindo da 18ª colocação, em 1998, para a 8ª, em 2018.

No Nordeste

Na região Nordeste, o estado ganhou três posições. Em 1998, estava na 6ª colocação. Na pesquisa realizada em 2018, o Maranhão subiu para a 3ª colocação sendo que a cidade que mais produz mel é Santa Luzia do Paurá. Em termos nacionais, ela ocupa a sétima colocação no Brasil.

Ao levar em consideração a produção regional, o Maranhão ocupa a 3ª colocação entre os estados do Nordeste, em 1998 ocupava a 6ª posição. A maior produção do estado está localizada em Santa Luzia do Paruá, 7º município com maior produção do Brasil.

Outro produto de origem animal também teve destaque. O leite se apresentou como o produto mais representativo do Maranhão, em termos de valor. O município de Açailândia detém a maior produção, com 39.637 mil litros ao ano.

Pecuária no Maranhão

A PPM é composta pelo efetivo de rebanho, produção de origem animal, número de vacas ordenhadas e produção da aquicultura.

Os rebanhos são divididos em oito espécies:

bovino

bubalino

equino

suíno

caprino

ovino

galináceos

codornas

Já os produtos de origem animal dividem-se em:

leite

ovos de galinha

ovos de codorna

mel de abelha

casulo do bicho-da-seda

Além disso, há a produção da aquicultura, onde são englobadas mais de 24 espécies de peixes e mariscos.

O presidente do Imesc, Dionatan Silva Carvalho, em entrevista ao site do Instituto, analisa que a pecuária no Maranhão é bastante representativa, haja vista que a criação de animais é bastante capilarizada, notadamente ao longo do leste e noroeste do território. “Em maior ou menor grau, todos os municípios têm participação no total da produção de origem animal, seja leite, ovos ou mel”, pontuou o presidente.

Rebanho maranhense

Em 1998, o rebanho bovino representava 41,3% do total do rebanho maranhense, passando para 62,4% em 2018. Ao longo desse período, cresceu em média, 3,5% ao ano, assinalando o maior crescimento médio entre os rebanhos, o que o manteve no posto de maior efetivo animal no Estado.

O município com maior efetivo de rebanho bovino no estado é Açailândia, com 327.689 cabeças e concentra 4,2% do rebanho total do estado.

Em maior ou menor grau, todos os municípios têm participação no total da produção de origem animal, seja leite, ovos ou mel.

Fonte: Com informações do O Imparcial

Deixe seu comentário