Menor que cortou o pescoço do amigo é condenado a 3 anos

Ítalo Rodrigo Nascimento, 16 anos, foi morto com perfurações na região do rosto, pescoço e nuca. O menor acusado de matar o adolescente foi apreendido e confessou o assassinato.

Foto: Reprodução \ Web Imagem do local onde o corpo foi encontrado
Imagem do local onde o corpo foi encontrado

O adolescente acusado de matar o estudante Ítalo Rodrigo Nascimento, de 16 anos, com perfurações na região do rosto, pescoço e nuca, foi condenado a cumprir 3 anos de medidas socioeducativas pelo ato infracional análogo ao crime de homicídio. Na decisão, a juíza Elfrida Costa Belleza Silva, da 2ª Vara da Infância e da Juventude de Teresina, determinou a pena máxima prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O crime aconteceu no dia 16 de julho. O menor, que tem 16 anos, foi apreendido horas após a morte de Ítalo Rodrigo e, segundo o delegado Danúbio Dias, confessou ter assassinado o estudante. Disse que arquitetou tudo para que a polícia não chegasse até ele e que se não fosse esse crime, com essa vítima, seriam com outras pessoas.

A polícia chegou até o menor após ouvir o depoimento de alguns amigos da vítima. Eles já se conheciam, estudaram no mesmo colégio e o Ítalo havia dito a uma pessoa que ia encontrar o suspeito. A partir do nome e da escola onde tinham estudado foi possível descobrir um endereço e localizá-lo, relatou o delegado.

Após ser ouvido pela polícia, o adolescente foi levado para o Centro Educacional Masculino (CEM), onde também deve, a partir de agora, começar a cumprir a pena. O menor deve passar por avaliação a casa seis meses e, se tiver resultados positivos, pode receber progressão de pena.

Ítalo Rodrigo foi encontrado morto dentro do próprio quarto, no conjunto Teresina Sul, na Zona Sul da capital. Um dos pontos investigados pela polícia foi a ausência de sinais de violência e arrombamento no local do crime.

O garoto apresentava perfurações na região do rosto, pescoço e na nuca. Segundo a Polícia Civil, ele estava amordaçado (com um tecido cobrindo a boca) e com os braços amarrados.

Segundo os moradores da região, o pai do garoto foi quem encontrou o corpo no quarto onde o garoto dormia durante a manhã, quando foi chamá-lo para ir até o estágio, o rapaz atuava como menor aprendiz, mas ele já não respondeu.

Fonte: Redação

Deixe seu comentário