Ministério Público propõe ação civil pública para suspender nomeações em concurso da PM

O pedido foi motivado pelo fato de que investigações apontaram que o candidato aprovado em primeiro lugar para o cargo de Oficial foi classificado de forma indevida no Teste de Aptidão Física

A 35ª Promotoria de Justiça de Teresina, titularizada pela Promotora Leida Diniz, propôs no último dia 5 de março, ação civil pública pedindo a suspensão das nomeações relativas ao concurso para os cargos de Soldado da PM e Oficial da PM, regulado pelo Edital nº 05/2013 NUCEPE/UESPI. O pedido foi motivado pelo fato de que investigações apontaram que o candidato aprovado em primeiro lugar para o cargo de Oficial foi classificado de forma indevida no Teste de Aptidão Física.?
 
Segundo a petição inicial, “os prejuízos que erário estadual pode vir a sofrer serão incalculáveis na medida em que sejam nomeados e empossados "aprovados" e "classificados" ilegalmente, exercendo de forma irregular o serviço público”. Assim, a Promotoria de Justiça requereu que os atos que culminaram na aprovação comprovadamente irregular do candidato, bem como que as nomeações sejam suspensas até que se concluam as investigações a respeito desta fase do concurso.

Deixe seu comentário