Mocidade Alegre, Unidos de Vila Maria e Acadêmicos do Tatuapé se destacam na primeira noite de desfi

A escola da Zona Oeste teve problemas com seu segundo carro e uma rainha de bateria que sambou com bota ortopédica

A viice-campeã do Grupo de Acesso no ano passado, a Tom Maior homenageou Elba Ramalho ao abrir este primeiro dia. A escola da Zona Oeste teve problemas com seu segundo carro e uma rainha de bateria que sambou com bota ortopédica por estar com o dedinho quebrado. 

MOCIDADE ALEGRE

A escola celebrou na avenida seus 50 anos de carnaval com um enredo sobre a luta, a força e a união da comunidade da Zona Norte. Teve bailarino de sete anos na comissão de frente, o lutador Minotauro e histórias de guerreiros em fantasias luxuosas. 

UNIDOS DE VILA MARIA
Ela levou religião ao carnaval com homenagem a Nossa Senhora Aparecida e os 300 anos da aparição da imagem da padroeira do Brasil, no Rio Paraíba do Sul. O cantor Daniel, a atriz Isabel Fillardis (representando Nossa Senhora), figurinos comportados e um refrão muito cantado ("Ooooh Senhora") foram os destaques. 

ACADÊMICOS DO TATUAPÉ
A atual vice-campeã do carnaval de São Paulo tenta o título em 2017 ao exaltar o povo africano, sua cultura e seus deuses. A escola da Zona Leste usou muitas cores para representar os grandes reinos da história do continente e seus países atuais, além das religiões africanas. Saiba mais sobre o desfile da Acadêmicos do Tatuapé.

GAVIÕES DA FIEL
A Gaviões da Fiel contou a história de quem migra para São Paulo para "recomeçar a vida". Dois dos carros-alegóricos representaram uma locomotiva e uma rodoviária. A madrinha de bateria Sabrina Sato se atrasou e desfilou sem uma parte da fantasia.

ACADÊMICOS DO TUCURUVI
Penúltima escola, a Tucuruvi homenageou os artistas de rua na tentativa de conquistar seu primeiro título no Grupo Especial. Acrobatas aéreos, um globo da morte e grupos de street dance compuseram a cenografia. A escola terminou o desfile no tempo limite de 1h05. 

Deixe seu comentário