Motoristas reclamam do aumento de preços dos combustíveis em Teresina

Em alguns postos de combustíveis, a gasolina chegou a custar R$ 5,39.
  • Luis Fernando Amaranes
    Luis Fernando Amaranes Teresina - PI
  • Kryssyno Oliveira
    Kryssyno Oliveira Teresina - PI
4 de Março de 2021 às 15:00
Atualizada em 5 de Março de 2021 às 15:20

Foto: Luis Fernando Amaranes/ Portal Verdes Campos Sat Preços de gasolina e diesel sobem hoje nas refinarias.
Preços de gasolina e diesel sobem hoje nas refinarias.

Motoristas que circulam pelas avenidas de Teresina, reclamam sobre o novo aumento de preços de combustíveis que começou a valer nesta semana. Nas refinarias da Petrobras, o litro da gasolina ficou R$ 0,12 mais caro. Totalizando (4,8%) e passou a custar R$ 2,60 para a vendas nas distribuídas.

A alta consecutiva no preço do combustível no país tem causado uma escala de elevados valores em todo o Piauí. Em alguns pontos de combustíveis na capital, por exemplo, o valor da gasolina comum subiu para R$ 5,39 e a gasolina aditivada R$ 5,55. Já o etanol, passou para R$ 3,99 e o diesel R$ 4,29.

Ao ver as mudanças, vários motoristas reclamaram do aumento dos preços. O servidor público federal, José Fernandes, relata que com o aumento, vai prejudicar ainda mais os motoristas.

“A situação dos preços dos combustíveis estão desastrosas. Infelizmente é uma política que estão usando no governo e na Petrobrás de aumentos. Do jeito que está, só faz prejudicar ainda mais o povo. Não está havendo uma relação direta com o salário mínimo, só está tendo com o dólar e nós saímos prejudicados nessa história. Se não tiver uma mudança na política, continuará com o aumento, explica o consumidor. 

O motorista Bernardo Sabino, trabalha como taxista há mais de 10 anos, e considera um descaso com a sociedade devido aos altos preços. Para ele, abastecer o veículo tem se motivo de preocupação no orçamento.

“Eu considero um descaso com a sociedade, porque o governo só está olhando o lado deles, porque todas as vezes que há aumento no dólar, eles jogam para cima da gente e nós temos que responder à tudo isso, sufocando nossas necessidades. As viagens estão bem mais difíceis, com esses transportes de aplicativos que são muitos, nossas corridas caíram cerca de 60%, porque os preços deles são bem mais baratos do que os nossos. Apesar dos preços de corridas dos veículos de aplicativos, nós como taxistas, estamos desfasados há quatro anos devido a bandeira de R$ 4,50. Quando o combustível era R$ 3,80, já era esse valor de bandeirado, e ainda hoje, continua esse valor”, disse.

Foto: Luis Fernando Amaranes/ Portal Verdes Campos SatEssa já é a quinta alta do ano no valor dos preços de combustíveis.
Essa já é a quinta alta do ano no valor dos preços de combustíveis.

Em entrevista ao Portal Verdes Campos Sat, o coordenador executivo Sindicato dos Postos Revendedores de Combustível do Estado do Piauí (Sindipostos), Anorcil Andrade, explica sobre esses aumentos gradativos que estão acontecendo em todo o Brasil.

“Todas essas oscilações que estão acontecendo em termo de preço, se dá em função da Petrobrás de estar buscando uma paridade do seu produto a nível internacional e tendo como base, o dólar, porém ele que rege esses preços internacionais. Enquanto a Petrobrás não estiver com esse preço, em igualdade, com as demais refinarias no mundo, nós teremos impactos em relação aos aumentos”, ressalta.

“São aumentos significativos que impactam de forma muito forte, tanto o preço de aquisição, quanto os preços de revendas de impostos. Consequentemente o consumidor tem um custo um pouco mais elevado em relação ao que vem sendo praticado. Esse trabalho que nós temos de estar levando conhecimento à todos os consumidores, se faz de importante para que haja um segmento adequado com relação a revenda de combustíveis. Por consequência, acabamos perdendo o equilíbrio comercial, o que gera um desconforto nas nossas finanças. Porém, eles são dados por órgãos que estão acima da revenda, nós recebemos o produtor já com o aumento e o repassamos para o consumidor final”, finaliza o coordenador Sindipostos, Anorcil Andrade.

Confira a matéria na íntegra:

                                                         

Deixe seu comentário