Pets ajudam a diminuir a solidão durante a quarentena, dizem especialistas

Segundo psicóloga, as interações com animais são capazes de produzir hormônios do prazer e da felicidade.
Por Redação Verdes Campos Sat 14 de Maio de 2020 às 09:16

Os pets são companheiros fiéis e nesse período de quarentena, a interação e companhia deles é essencial para as pessoas não se sentirem sozinhas. A relação pode ficar mais intensa durante a pandemia do coronavírus, devido a convivência.

Foto: Reprodução/ InternetSegundo psicóloga, as interações com animais são capazes de produzir hormônios do prazer e da felicidade.
Segundo psicóloga, as interações com animais são capazes de produzir hormônios do prazer e da felicidade.

De acordo com a psicóloga Ianny Luizy, estamos em um período que não podemos tocar, abraçar e beijar outras pessoas para evitarmos a disseminação da doença, então é importante a presença do pet para evitar o sentimento de solidão. 

“Pets são ótimos companheiros e existem vários estudos que comprovam o quanto ter um pet pode ajudar em problemas como solidão, ansiedade, depressão e até mesmo cardiovasculares, pois eles são fontes de amor”, disse a especialista. 

A psicóloga também apontou que as interações entre pets e humanos fazem o cérebro trabalhar de forma produtiva. “Essa interação gera endorfinas e serotonina, substâncias que são os hormônios do prazer e felicidade. Brincar com pets geram momentos únicos que vão ajudar a passar por essa pandemia de forma mais animada e tirando um pouco o foco do problema”, explicou. 

Impactos para os pets

A pandemia do coronavírus mudou a rotina de muitas pessoas, inclusive a dos pets. Acostumados com passeios nas ruas, eles estão passando a maior parte do tempo em casa e podem ficar estressados e ansiosos. 

Segundo o médico veterinário, André Braga, em alguns casos os pets sofrem com a ansiedade, principalmente aqueles que ficam mais tempo em casa sozinhos enquanto os tutores estão fora trabalhando por exemplo. 

“Eles precisam de exercícios com regularidade tanto pra aliviarem o estresse do dia a dia como para fazerem suas necessidades fisiológicas e evitar problemas também como a obesidade”, explicou o especialista. 

Como os tutores estão evitando sair de casa para evitar a propagação do coronavírus, a dica é inovar dentro de casa com brinquedos e brincadeiras e assim manter o seu pet ativo. 

“O uso de brinquedos que são vendidos nos pet shops é indicado, mas deve se observar se o pet não vai morder e ingerir pedaços dos brinquedos para não ocorrer a ingestão de corpo estranho. Filhotes são sempre mais fáceis de estimular e adaptar as brincadeiras em casa. Quem tem espaço em casa pode usar bolas estimulando o animal a correr um pouco e assim gasta energia. Em apartamentos, as brincadeiras são mais contidas, mas os passeios nas áreas comuns são válidos”, disse o especialista. 

De acordo com o especialista, caso vá levar o animal para passear nas áreas comuns, é preciso sempre ao voltar pra casa higienizar as patinhas com lenços umedecidos apropriados ou água e sabão e higienizar a pelagem também.

Deixe seu comentário