Piauí possui 159 leitos de UTI ocupados com pacientes da Covid-19

Os números mostram que, se o Piauí não tivesse criado mais leitos, hoje os 148 leitos de UTI disponíveis estariam com 100% de ocupação.

Foto: CCOM A gestão pública teve que criar mais 98 unidades de terapia intensiva e chegou a 246 leitos
A gestão pública teve que criar mais 98 unidades de terapia intensiva e chegou a 246 leitos

De acordo com um levantamento do Governo do Estado, no início da pandemia, o Piauí tinha 148 leitos equipados com UTIs disponíveis para atender os pacientes com a Covid-19. No entanto, com o agravamento da doença no estado, a gestão pública teve que criar mais 98 unidades de terapia intensiva, chegando assim, a 246 leitos. No dia 6 de abril, 30 desses 148 leitos estavam ocupados com vítimas do novo coronavírus. Já no último boletim da Sesapi, divulgado nessa segunda-feira (25), eram 148 leitos de UTI ocupados. Por conta da expansão do número de leitos, não houve lotação da rede no estado, que de acordo com o levantamento, contribuiu para salvar vidas.

Outro fato que deve ser levado em consideração, é com relação ao isolamento social, que se não tivesse sido adotado, os 148 leitos de UTI existentes no início da pandemia já estariam todos ocupados e, assim, o sistema entraria em colapso, já que muitos pacientes ficariam sem atendimentos, podendo ir a óbito.

As medidas de isolamento social adotadas pelo Governo do Piauí a partir da segunda quinzena de março evitaram o colapso no sistema de saúde do Estado. Com isso, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) conseguiu tempo para aumentar o número de UTIs aos pacientes acometidos com a doença, impedindo, assim, que os casos mais graves ficassem sem atendimento por falta de vagas da rede de saúde.

A demora no aumento de casos surtiu efeito. Além dos 98 leitos de UTIs que foram criados para evitar o colapso no sistema, o Governo do Estado também aumentou a oferta de leitos clínicos e leitos de estabilização. No dia 6 de abril, o Piauí tinha 723 leitos clínicos, sendo que 48 estavam ocupados por pacientes menos graves da Covid-19. Hoje, o Piauí tem 853 leitos clínicos (130 a mais), com 331 ocupados. Há ainda 45 leitos de estabilização, que são usados enquanto o paciente aguarda a transferência para uma UTI.

Os números mostram que, se o Piauí não tivesse criado mais leitos, hoje os 148 leitos de UTI disponíveis estariam com 100% de ocupação e, portanto, os outros pacientes que necessitassem de leitos de terapia intensiva ficariam à deriva. Não somente eles, mas os que podem vir a precisar daqui para a frente.

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, enfatiza o esforço de vários entes públicos para conseguir atender à população neste período de pandemia, como o Governo do Estado, Prefeitura de Teresina, rede privada, Hospital da Universidade Federal do Piauí e hospitais filantrópicos. “Conseguimos durante esse período um grande feito: alcançar 291 leitos com respiradores (UTI mais os leitos de estabilização). A nossa situação é diferente dos estados vizinhos, mas isso não nos acomoda, pelo contrário”, afirma o gestor.

Leitos existentes no Piauí em 6 de abril:

Leitos Unidades Ocupados
Clínicos 723 48 (7%)
UTI 148 30 (20%)

Leitos existentes no Piauí no dia 24 de maio:

Leitos Unidades Ocupados
Clínicos 853 331 (39%)
UTI 246 159 (61%)

Deixe seu comentário