Piauí tem 809 óbitos por Covid-19 e mais de 26,1 mil casos confirmados

Os dados foram atualizados pela plataforma da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), na noite desse último domingo (05).

Foto: Reprodução/ Internet Nenhum município foi acrescido com casos da doença até ontem (05), permanecendo em 212 cidades afetadas pela pandemia.
Nenhum município foi acrescido com casos da doença até ontem (05), permanecendo em 212 cidades afetadas pela pandemia.

O Piauí registrou nesse último domingo (05), 432 casos positivos e 25 óbitos pelo novo coronavírus em um prazo de 24 horas. O estado contabiliza até o momento, 26.511 casos confirmados e 809 pessoas mortas pela doença.

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), as novas vítimas são 15 homens e 10 mulheres.  As pessoas do sexo masculinos que não resistiriam à Covid-19 são de Avelino Lopes (76 anos), Barras (86 anos), Bom Jesus (73 anos), Campo Maior (77 anos), Parnaíba (73 anos), Picos (85 anos), São João da Varjota (83 anos), São José do Divino (66 anos), São Pedro do Piauí (65 anos), Sussuapara (81 anos) e Teresina (66, 77, 80, 82 e 84 anos). E as mulheres são de Joaquim Pires (47 anos), Parnaíba (44 e 67 anos) e Teresina (63, 70, 79, 84, 86, 90 e 91 anos). Dos óbitos registrados até agora, 58,47% das vítimas são homens e 41,53% são mulheres.

Ainda de acordo com a Secretaria, dos 432 casos confirmados no boletim de ontem, 243 são homens e 189 são mulheres com idades que variam de 23 a 98 anos.

Municípios afetados

Conforme a nova atualização realização pela plataforma da Sesapi, nenhum município foi acrescido na lista daqueles atingidos pela pandemia, permanecendo em 212 o número de cidades com casos confirmados do novo coronavírus, o que representa 94,64% dos municípios piauienses.

Pacientes hospitalizados

Os leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 909 ocupados, sendo 557 leitos clínicos, 330 UTIs e 22 leitos de estabilização. As altas acumuladas somam 1.211 e os pacientes recuperados 24.793.

Mitos e verdades sobre o coronavírus

Com o aparecimento do novo subtipo do coronavírus, é comum surgirem algumas dúvidas. Veja mitos e verdades sobre a COVID-19. 

Itens como luvas e máscaras nos protegem da transmissão da doença?

Verdade. O uso da máscara é recomendado para todos que precisarem sair de casa. No entanto, pessoas assintomáticas devem utilizar máscara caseira de pano. O objetivo é deixar as máscaras descartáveis para pacientes com casos confirmados e com suspeita da doença, além de profissionais de saúde e cuidadores. A recomendação para prevenção é descartar as máscaras a cada 4 horas quando em ambientes externos. Dentro de casa, o uso da mesma máscara pode se manter até que ela fique úmida ou suja.

Pessoas com máscaras podem contrair o Coronavírus?

Verdade. A máscara protege contra a doença, mas não a evita. Existem outras formas de contrair o Coronavírus mesmo estando de máscara. A principal forma de contágio é através do ar, quando a pessoa contaminada tosse ou espirra, espalhando o vírus. Outra forma é o contato das mãos em superfícies contaminadas em até 24 horas após a eliminação do vírus, por isso é importante evitar tocar olhos, nariz e boca sem higienização adequada das mãos. A lavagem das mãos deve ser feita com água e sãbao, além do uso de álcool em gel ou álcool 70%. Além da palma da mão, a lavagem deve incluir o dorso, entre os dedos e o pulso.

A taxa de mortalidade do novo Coronavírus é maior do que a de outras manifestações do vírus?

Mito. De acordo com estudo realizado pelo Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CCDC), a taxa geral de mortalidade do Coronavírus é de 2,3%. Em pessoas com mais de 80 anos chega a 14,8%. Em comparação a outros coronavírus já registrados, como a síndrome respiratória aguda grave (Sars) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers), o novo Coronavírus não é tão mortal. A taxa de mortalidade do Sars era de 10% e a da Mers em torno de 20% a 40%. No entanto, o nível de transmissão do novo Coronavírus é maior.

Existe um exame capaz de detectar a existência do Coronavírus no corpo humano?

Verdade. É possível fazer o diagnóstico laboratorial específico para Coronavírus, através da detecção do genoma viral. Além disso, com a investigação clínico-epidemiológica se avalia histórico de viagem para o exterior ou contato próximo com pessoas que tenham viajado para fora do país.

Correspondências vindas da China correm o risco de transportar o vírus para outros locais?

Mito. O vírus sobrevive no máximo 24 horas fora do corpo humano, por isso não é possível que ele seja levado para outros locais do mundo através de objetos e cartas.

Existe vacina contra o novo vírus?

Mito. Assim como não há vacina, também não há tratamento específico. Tem sido indicado repouso, consumo de líquidos, alimentação saudável e algumas medidas para aliviar os sintomas, como medicamentos para dor e febre. No caso de febre persistente, o indicado é procurar o serviço médico.

Os sintomas são parecidos com o de um resfriado comum?

Verdade. Em caso de febre, tosse e dificuldade para respirar, é preciso ficar alerta. Em alguns casos, também há complicações respiratórias, podendo evoluir para pneumonias.

Deixe seu comentário