Pix registra 12,2 milhões de operações desde o dia 16 até o dia 22/11

Antes da data, o Pix já funcionava em fase de testes, com acesso limitado, desde o dia 3 de novembro

Foto: Divulgação/Agência Brasil Operações do Pix movimentaram cerca de R$ 9,3 bilhões de reais
Operações do Pix movimentaram cerca de R$ 9,3 bilhões de reais

Um balanço feito pelo Banco Central do Brasil, nesta terça-feira, mostra que o Pix, novo sistema de pagamentos e transferências instantâneos, registrou cerca de 12,2 milhões de operações na primeira semana de funcionamento, movimentando um volume financeiro de R$ 9,3 bilhões de reais. 

O novo sistema de pagamentos começou a funcionar no dia 16 de novembro. Antes da data, o Pix já funcionava em fase de testes, com acesso limitado, desde o dia 3 de novembro. Os dados divulgados hoje são referentes desde o dia 16 até o dia 22/11.

Para o chefe do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Ângelo Duarte, as pessoas estão ganhando mais confiança no sistema, que por sua vez, gera um aumento na operação média do Pix.

“O Banco Central considera que essa primeira semana de operação completa foi bastante positiva, desde o primeiro dia o número de operações atingiu um patamar bastante elevado, não houve grandes intercorrências com a entrada de milhões de usuários”, ressalta.

O que é o Pix?

O Pix é um meio de pagamento criado pelo Banco Central que promete agilizar e facilitar a vida do cidadão. Com ele, os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia, direto do aparelho celular. É prático, rápido e seguro.

O Pix pode ser feito a partir de uma conta corrente, conta poupança ou conta de pagamento pré-paga.

Ele traz praticidade, além de aumentar a velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos e recebidos. Atualmente, uma TED leva até duas horas para ser compensada e o DOC é liquidado apenas no dia útil seguinte.

Ainda tem o potencial de alavancar a competitividade e a eficiência do mercado, de acordo com o Banco Central.

Chave Pix

Com relação às chaves, o balanço do BCB mostra que os usuários têm cadastrado principalmente o número do CPF. As Chaves podem ser o número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ. Após o cadastro e a confirmação, o usuário poderá transferir ou receber dinheiro usando apenas uma das chaves. 

Até o último domingo (22), um total de 83,5 milhões de chaves Pix já haviam sido cadastradas. Dessas, 29,6 milhões das chaves foram feitas com o número do CPF, outras 19,5 milhões com o número do telefone, 18,7 milhões com dados aleatórios e 13,8 milhões com o endereço de e-mail.

Fonte: com informações do Gov.br

Deixe seu comentário