Plenário da Câmara fica sem luz em meio a audiência sobre agricultura familiar

Energia caiu por volta de 12h e, cerca de uma hora e meia depois, começou a ser restabelecida. Câmara disse que causa do apagão foi defeito em subestação da companhia energética.

Foto: Reprodução \ Web Plenário da Câmara ficou sem luz durante audiência sobre agricultura familiar
Plenário da Câmara ficou sem luz durante audiência sobre agricultura familiar

O plenário principal da Câmara dos Deputados ficou às escuras nesta quarta-feira (11) em meio a uma audiência pública para debater a questão da agricultura familiar.

A energia caiu por volta de 12h e, cerca de uma hora e meia depois, começou a ser restabelecida. A assessoria de imprensa da Câmara informou que a causa do apagão foi um problema na subestação da Companhia Energética de Brasília (CEB) que atende o edifício. A empresa foi acionada, e a energia começou a ser restabelecida aos poucos.

A falta de luz atingiu outros pontos do edifício principal do Câmara, como a sala da primeira-vice-presidência da Câmara, o comitê de imprensa (local reservado para jornalistas), e alguns gabinetes de lideranças partidárias. A assessoria da Câmara informou que o apagão não atingiu os prédios dos anexos.

A audiência desta quarta havia sido convocada para comemorar a Semana Nacional da Agricultura Familiar e discutir temas como os fatores que dificultam a permanência dos jovens no campo.

Quando acabou a luz, as pessoas ainda permaneceram no escuro dentro do plenário, mas, sem previsão de retorno da energia, a sessão foi encerrada.

O apagão também afetou momentaneamente o gabinete da presidência da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mas logo o gerador restabeleceu a energia no local. Maia não estava na sala na hora.

A depender de quando a energia for restabelecida, as atividades no plenário, incluindo as votações, poderão ser afetadas.

A área técnica ainda precisará testar todos os equipamentos e sistemas usados nas sessões, como o painel de registro de presença e de votos.

Fonte: G1

Deixe seu comentário