Pontos de Recebimentos de Resíduos combatem lixões irregulares em Teresina

Município investe por mês R$ 338 mil coletando 2,4 mil toneladas dos resíduos dispostos nos PRRs

O descarte irregular de resíduos sólidos em terrenos baldios e vias públicas acarreta diversos problemas para a população, como o mau cheiro e a propagação de vetores, além de agredir o meio ambiente. Pensando nisso, a Prefeitura de Teresina tem intensificado as ações de fiscalização e educação do teresinense sobre a correta destinação de cada tipo de lixo e reforçando a importância do uso dos Pontos de Recebimentos de Resíduos (PRRs).

De acordo com Vicente Moreira, secretário executivo da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), o município investe por mês R$ 338 mil coletando, em média, 2,4 mil toneladas dos resíduos dispostos nos 35 PRRs distribuídos pela capital.

“Podemos alcançar mais. Mesmo com o fácil acesso aos PRRs, o poder municipal ainda precisa coletar uma média 8 mil toneladas de resíduos dispostos de maneira irregular em terrenos baldios e vias públicas mensalmente. É quase quatro vezes mais do que o que coletamos nos PRRs e o objetivo é que seja o contrário. A distribuição dos pontos foi feita para que cada contêiner instalado cobrisse uma área de até dois quilômetros de abrangência, com o intuito de erradicar áreas de deposição irregular ao longo de toda região onde está instalado”, explica Vicente Moreira.

Os Pontos de Recebimento de Resíduos são adequados para receber o chamado lixo seco, que são resultados de capina, poda, materiais de construção, objetos velhos e demais utensílios que necessitem ser descartados em pequenas quantidades, de até 1m³ por dia. Sendo proibida a colocação de lixo orgânico, animais mortos, penas e vísceras, resíduo industrial, entulhos, resíduo hospitalar, pilhas, baterias e aparelhos eletrônicos.

“Reforçamos para a população que os PRRs foram desenvolvidos para atender a demanda de descarte desses tipos de materiais secos que são produzidos em pequenas quantidades e devem ser utilizados. Além disso, o cidadão que dispõe esses materiais em locais inapropriados também está sujeito a ser notificado ou autuado, podendo até pagar multa pela infração cometida”, completou o secretário executivo da Semduh.

Deixe seu comentário