MP pede que Equatorial preste esclarecimentos sobre constante falta de energia em Teresina

A empresa deve apresentar defesa escrita no prazo de 15 dias

Foto: Foto: reprodução Ministério Público do Estado do Piauí
Ministério Público do Estado do Piauí

O promotor de Justiça e coordenador-geral do Procon (Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor/MPPI), Nivaldo Ribeiro, instaurou um processo administrativo contra a concessionária de energia Equatorial, antiga Cepisa. O promotor quer que a empresa preste esclarecimentos sobre a falta de energia elétrica que ocorreu em Teresina (influenciada por chuva intensa), na última sexta-feira (04).

Por meio do documento, foi determinado que empresa deve apresentar defesa escrita, no prazo de 15 dias, através de relatório que contenha o número de chamados recebidos da sexta-feira (4) ao domingo (6) relacionados à falta de energia decorrente da forte chuva e em qual prazo foram atendidos, assim como as ações adotadas.

Segundo o MP, foi solicitado também que seja disponibilizada a quantidade de atendentes que estavam disponíveis no call center da concessionária, além de informações sobre as equipes disponíveis para o reparo dos serviços de distribuição de energia elétrica e se houve medidas emergenciais no sentido de aumentar o número de funcionários diante da elevação dos chamados.

As medidas de cunho preventivo que, possivelmente, estejam sendo adotadas pela Equatorial também devem ser informadas. A empresa deve ainda se pronunciar sobre a possibilidade de firmar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) a respeito dos problemas ocorridos.

Confira a Nota de esclarecimento da Equatorial:

A Equatorial Piauí informa que ainda não foi notificada acerca do procedimento administrativo citado. A empresa afirma que tão logo isso ocorra irá apresentar a sua manifestação dentro dos prazos exigidos, evidenciando a natureza excepcional do fenômeno que originou os transtornos do último fim de semana e os esforços da distribuidora no pleno restabelecimento da energia em Teresina.

Fonte: * Com Informações do MPPI

Deixe seu comentário