Projeto incentiva avicultura e horticultura em comunidade de Dom Expedito Lopes

A comunidade Sitiozinho é beneficiária do Projeto Viva o Semiárido.

Foto: Reprodução/ Internet A comunidade Sitiozinho é beneficiária do Projeto Viva o Semiárido.
A comunidade Sitiozinho é beneficiária do Projeto Viva o Semiárido.

A Comunidade Sitiozinho,  localizada no município de Dom Expedito Lopes, no Território do Vale do Guaribas, é beneficiária do Projeto Viva o Semiárido (PVSA), executado pelo Governo do Estado por meio da Secretaria da Agricultura Familiar (Saf), com apoio do Fundo Internacional do desenvolvimento Agrícola (Fida).

O Projeto apoia a produção em avicultura e horticultura , por meio da Associação de Moradores e Produtores Rurais de Sitiozinho e inclui a construção de sistema alternativo de criação de aves, aquisição de ração, Kit de Irrigação e equipamentos diversos, além de assistência técnica, beneficiando 28 famílias. O valor total do investimento é da ordem de R$219.618,37.

Segundo José Oliveira, coordenador da URGP ( unidade regional  de Picos), a comunidade  vem  se destacando na atuação do projeto de avicultura  e horticultura : “O destaque em Sitiozinho é visível, eles já tinham experiência na horticultura e com a implantação do projeto, houve uma ampliação e aprimoramento nas atividades, pois os agricultores e agricultoras estão adquirindo e  aprofundando conhecimentos e como consequência, aumentaram a produtividade e a renda, se destacando no cenário local e regional” pontua o coordenador.

Edgar de Souza, a esposa e 3 filhos vivem na comunidade Sitiozinho  e afirma que está muito satisfeito com o Projeto: “ estamos indo muito bem com a horticultura, a fruticultura e por enquanto temos quase 450  aves, mas queremos melhorar mais a produção”, frisou o agricultor que também vive da comercialização de castanhas.

Segundo o técnico da URGP, Eberson Martins de Oliveira, a implantação do projeto para famílias da Sitiozinho,  é fruto de uma busca da  própria  comunidade, por meio deste novo modelo de executar projetos através de associações e cooperativas: “Eles conseguiram aprovar o projeto e vem executando com êxito. A comunidade já se destaca pelo nível de organização que  é tradicional e já têm um trabalho desenvolvido em cima do associativismo. Um povo muito empreendedor e nós que compomos a equipe territorial junto com as empresas de  assessoria técnica sistemática não   tivemos problemas em implantar o projeto. Eles já tinham um certo mercado no segmento da horticultura, mas a outra atividade que entrou através do Viva o Semiárido, a avicultura, vem ganhando destaque a nível da região e municípios, pois com a nova produção estão comercializando ovos, além de ser uma atividade casada, pois o excedente serve de alimento para as aves, fazendo q o projetos se torne cada vez mais sustentável” O técnico ressaltou que os produtos  da horticultura da comunidade são agroecológicos, melhorando assim a qualidade da alimentação de quem produz e de quem  compra, bem como a importância do consumo de proteína de aves e ovos.

O Superintendente do desenvolvimento rural e coordenador do PVSA no Piauí , Francisco das Chagas Ribeiro ressalta, que a comunidade tem características produtivas bem fortes e que é muito diversificada ,com o cultivo de caju, mandioca e beneficiamento da raiz , bem como a revitalização da cultura de plantio do alho. “Principalmente pelo volume que conseguem produzir e comercializar. A comunidade também é beneficiada pela localização, no pé de uma serra, que favorece o comércio e gera renda para cerca de  1000 pessoas que estão envolvidas direta e indiretamente. Estes fatores e, principalmente a garra, a capacidade de trabalhar e produzir, fazem de Sitiozinho uma comunidade diferenciada, sem dúvida um dos melhores projetos produtivos do PVSA na região.

Deixe seu comentário