Renato cobra reforços no Grêmio e reconhece Fla como 'melhor do Brasil'

Treinador afirmou que se o clube gaúcho não 'abrir o cinto', diretoria gremista pode procurar outro treinador para a temporada de 2020

Foto: Reprodução / Esporte Interativo Renato também reclamou do pênalti marcado a favor do Flamengo na Arena do Grêmio.
Renato também reclamou do pênalti marcado a favor do Flamengo na Arena do Grêmio.

A coletiva de Renato Portaluppi após a derrota para o Flamengo foi bastante contundente. E em vários sentidos. O treinador do Grêmio começou cobrando a diretoria por reforços em 2020 e afirmou que se isso não acontecer, o clube gaúcho pode procurar outro treinador no ano que vem.

"A gente nao vai abrir o cinto demais, como Flamengo, Palmeiras. O que posso garantir é que, se eu ficar, é que o cinto não vai se fechar. Se o cinto fechar, pode contratar outro treinador. Não vou ficar brigando para ficar sempre lá atrás nas competições. Nasci para vencer e sempre vou fazer meu grupo vencedor. Mas para isso preciso ter minhas peças também".

Depois, o comandante tricolor reconheceu que o Flamengo está em um outro nível neste momento e foi enfático ao dizer que quem não admite que a equipe de Jorge Jesus é hoje a melhor do Brasil está cego ou com ciúmes.

"Hoje o Flamengo tem sim o melhor futebol do Brasil. Não agora, isso vem há horas. O Grêmio vinha jogando muito bem. Mas tem que colocar na balança o plantel do Flamengo e o plantel do Grêmio. Gosto de ver o Flamengo jogar, gosto de ver meu time jogar. O Flamengo, até pelo investimento, é sim, é o melhor time do Brasil sim. Ninguém tira o título brasileiro deles. O Grêmio não gastou 1% do que o Flamengo gastou e está no G-4. Não é que o Grêmio não esteja jogando um belo futebol, ele caiu do patamar que vinha jogando. O Flamengo está superior a todo mundo e a gente precisa reconhecer isso. Quem não reconhece está com ciúmes ou está cego".

Por fim, ele reclamou bastante da penalidade que definiu a vitória rubro-negra por 1 a 0, na Arena do Grêmio. Renato questinou a utilização do VAR no futebol brasileiro e enfatizou que as regras e interpretações têm que ser iguais para todos os times.

"O (Leonardo) Gaciba (presidente da Comissão de Arbitragem da CBF) esteve aqui, mostrou esse lance. Esse mesmo lance do Léo Moura, caindo, sem tocar no chão e ele disse que não é mais pênalti. O Léo tá caído, com os dedos no chão. Pênalti. Do outro lado, pouquinho diferente, praticamente igual o lance do Vizeu, não é pênalti. Não estou lamentando nem me queixando. Uma regra para um árbitro pode ser a outra para outro árbitro. Cobrei o Claus, perguntei porque não foi ver no vídeo. Ele disse: ‘"Porque o árbitro do vídeo disse que não foi pênalti". O Gaciba vem aqui, mostra o lance, pela nova regra não é mais pênalti. O lance? Pênalti. Lance para gente? Não é pênalti. A CBF tem que se decidir com esse tal de VAR. Tem que ser a mesma regra para todos".

Fonte: Esporte Interativo

Deixe seu comentário