Secretaria de Saúde realiza workshop sobre hanseníase na segunda (28)

Neste ano, o dia 27 de janeiro será o Dia Nacional e Mundial de Combate e Prevenção da Hanseníase.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e parceiros promovem o II Workshop Estadual sobre Hanseníase. O evento é gratuito, aberto ao público e será realizado na segunda-feira (28), às 8h, no auditório do Hospital Getúlio Vargas.



O workshop contará com palestras e debates e ocorre por meio de parceria entre Secretaria da Saúde, Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Fundação Municipal de Saúde (FMS), Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) e Conselho Estadual de Saúde (CES).



Neste ano, o dia 27 de janeiro será o Dia Nacional e Mundial de Combate e Prevenção da Hanseníase, já que a data é celebrada sempre no último domingo de janeiro e reforça o compromisso em controlar a hanseníase, promover o diagnóstico e o tratamento correto, difundir informações e diminuir o preconceito a cerca da doença.



Dados apontam que em 2017 foram detectados 1.068 casos novos de hanseníase no Piauí, representando 33,2 p/100.000 hab, considerado parâmetro muito alto. Os dados parciais de 2018 apontam uma leve queda, 962 casos, representando 29.7 p/ 100.000 habitantes, porém, ainda sendo considerado como parâmetro muito alto. O tratamento para a doença é ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), na Atenção Básica de todos os municípios.



A supervisora da hanseníase no estado, Eliracema Alves, diz que uma dica importante é convencer os familiares e pessoas próximas a um paciente a procurarem uma Unidade Básica de Saúde para avaliação, quando for diagnosticado um caso de hanseníase na família. Dessa forma, a doença não será transmitida nem pela família nem pelos parentes próximos e amigos”, chama atenção Eliracema.



A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa, causada pelo bacilo mycobacterium leprae, ou bacilo de hansen. A transmissão ocorre por meio de contato próximo e contínuo com o paciente não tratado. Embora tenha cura, a doença pode causar incapacidades físicas se o diagnóstico for tardio ou se o tratamento for inadequado.



Programação:



8h - Credenciamento



8h20 - “Não cuide de mim sem mim”: Iolanda Rodrigues – Morhan



8h40 - “Estigma em Hanseníase e convocar para ações e voluntariado”: Francilene Mesquita – Morhan



9h - Divulgação dos dados do Estado: Eliracema Alves – Sesapi



9h20 – “Projetos, ações e formação de rede” - Reunahans-PI



9h40 – Mesa-redonda: “Sofrimento Mental e Hanseníase”: Rose Batista (psicóloga), Giovana Libório (profª UFPI), Joelma Batista (enfª/doutoranda UFPI) e Jonas Alves (mestrando UFPI).



11h - Debates

Deixe seu comentário