Sir Lindsay Hoyle é eleito novo presidente da Câmara dos Comuns no Reino Unido

Ele foi escolhido após quatro rodadas de votação no Parlamento nesta segunda-feira (4). Hoyle ocupa o cargo deixado por John Bercow, que se aposentou em 31 de outubro.

Foto: Reprodução \ Web Sir Lindsay Hoyle, após ser eleito novo presidente da Câmara dos Comuns, no Parlamento do Reino Unido, na segunda-feira (4)
Sir Lindsay Hoyle, após ser eleito novo presidente da Câmara dos Comuns, no Parlamento do Reino Unido, na segunda-feira (4)

Sir Lindsay Hoyle irá ocupar o lugar de John Bercow como presidente da Câmara dos Comuns no Parlamento no Reino Unido. Bercow se aposentou no dia 31 de outubro, e Hoyle foi eleito nesta segunda-feira (4).

Foram necessárias quatro rodadas de votação para chegar ao resultado final. Na última delas, Hoyle, que era o favorito, teve 325 votos, contra 213 de Chris Bryant.

Em votações prévias, também nesta segunda-feira, já haviam sido eliminados os nomes de Dame Eleanor Laing, Harriet Harman e Dame Rosie Winterton, além de Sir Edward Leigh e Meg Hillier.

O presidente da Câmara dos Comuns, ou speaker, como é chamado em inglês, precisa se desligar de seu partido - no caso de Hoyle, o Trabalhista - e se comprometer a não se posicionar publicamente sobre assunto nenhum.

O que faz o presidente da Câmara dos Comuns?

Na maioria das vezes, o presidente da Câmara – ou "speaker", em inglês – lê aos parlamentares presentes a proposta e pede que os favoráveis ou contrários digam, em voz alta, sim ou não. Caso não haja maioria clara, ele grita: "Divisão! Deixem o salão".

O que vem depois parece programa de auditório dos anos 1990. Quem vota "sim" segue ao corredor da direita. Quem vota "não" vai para a esquerda. Os parlamentares têm oito minutos para se decidir. Não tem painel eletrônico.

O presidente da Câmara não tem direito a voto. A exceção é quando há empate nas votações, e aí o voto de minerva fica a cargo do "speaker". E mesmo assim, um precedente o manda votar de tal modo que os parlamentares continuem a discutir o assunto em questão.

Fonte: G1

Deixe seu comentário