Tabagismo causa mais de 8 milhões de mortes anualmente no mundo

Apesar de queda, Brasil ainda tem 10% da população fumante e especialistas alertam para a necessidade do combate ao fumo
27 de Agosto de 2021 às 16:42

Foto: Reprodução/ Ascom Tabagismo causa mais de 8 milhões de mortes anualmente no mundo.
Tabagismo causa mais de 8 milhões de mortes anualmente no mundo.

A veiculação de propagandas de cigarros na TV tornou-se proibida desde o final do ano 2000 quando, até então, os comerciais que faziam referência ao uso só poderiam ir ao ar entre 21h e 06h. Essa medida veio auxiliar o combate ao tabagismo, visto que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 8 milhões de pessoas morrem anualmente no mundo, sendo que 7 milhões são referentes aos fumantes e 1,2 milhão são de fumantes passivos- aqueles que dividem espaço com fumantes ativos.   

Segundo as pesquisas da OMS, cerca de 90% dos casos de câncer de pulmão no Brasil são causados pelo hábito de fumar, sendo esse o tipo mais letal dentre outros casos. De acordo com a enfermeira e coordenadora do curso de Enfermagem da UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau em Teresina, Mauryane Lopes, as substâncias cancerígenas presentes no cigarro podem alterar as células do corpo.

“O uso do tabaco tem forte relação com o aparecimento de doenças como AVC, infarto, câncer e outras. Isso porque o uso constante e excessivo do fumo pode provocar uma agressão ao DNA, favorecendo o surgimento de tumores que, se não vistos e tratados precocemente, podem causar um câncer. Além de toda essa situação, fumar faz o indivíduo mais vulnerável a outras infecções”, explica a enfermeira.   

Ainda de acordo com a professora Mauryane Lopes, uma outra complicação está na consulta e diagnóstico tardio de pessoas com tumores nos pulmões, resultando em tratamentos mais demorados ou ineficazes.

“O que acontece, na maioria dos casos, é a dificuldade de associar os sintomas de pigarro ou aquelas tosses mais profundas a um problema no pulmão. Isso pode resultar em transtornos maiores com agravamento de sintomas e comprometer o órgão. Por isso, não fume e evite ficar próximo aos fumantes. Já parou para pensar o valor de sua saúde? Se não, afirmo-lhes que ela vale muito!”, finaliza Mauryane.   

O tratamento contra o tabagismo precisa ser multidisciplinar, ou seja, com a participação de médicos, enfermeiros e psicólogos em sincronia, evitando recaídas e com utilização de doses corretas da medicação. O tratamento pode ser feito tanto pela rede privada e pelo SUS, de forma gratuita. Para mais informações, os interessados devem entrar em contato com o número 136.

Deixe seu comentário