TCE-PI determina auditoria na Maternidade Evangelina Rosa e diretor pode ser afastado por má gestão.

O afastamento ou não do diretor vai ser decidida, após a conclusão da auditoria.

Foto: Reprodução / Internet Maternidade Dona Evangelina Rosa
Maternidade Dona Evangelina Rosa

A maternidade enfrentou nos últimos anos uma série de problemas, que resultaram até na sua interdição pelo Conselho Regional de Medicina do Piauí por algumas vezes. Atrasos salariais, problemas na estrutura e alto índice de óbitos são algumas das falhas detectadas na administração de Francisco de Macêdo Neto, o “Macedão” diretor da unidade.

Entretanto o Tribunal de Contas do Estado do Piauí determinou a realização de uma auditoria na Maternidade Dona Evangelina Rosa, em Teresina, com a finalidade de examinar a legalidade e a legitimidade dos atos de gestão.

A decisão quanto ao afastamento ou não do diretor Francisco de Macêdo Neto, vai ser decidida após a conclusão da auditoria na unidade, que vai constar ou não se teve ou não irregularidades com as despesas.

O Ministério Público de Contas é o autor da representação, que cita além de Macedão, o secretário de Saúde do Piauí, Florentino Neto. A relatora é a conselheira Waltânia Alvarenga e o redator Jackson Nobre Veras.

A auditoria vai avaliar atos de gestão dos responsáveis sujeitos à sua jurisdição, quanto aos aspectos contábil, financeiro, orçamentário, operacional e patrimonial bem como avaliar o desempenho dos órgãos e o alto índice de mortalidade na maternidade, e das entidades jurisdicionadas, assim como dos sistemas, dos programas e das ações governamentais, quanto aos aspectos da economicidade, da eficiência e da eficácia dos atos praticados.

Francisco Macêdo apresentou documentação no processo para esclarecer os fatos apontados pelo MPC, e ainda destacou “assumi a maternidade na qualidade de diretor geral somente em maio de 2017” assim não podendo se responsabilizar por qualquer ato cometido antes da sua gestão.

Fonte: Redação

Deixe seu comentário