Viaduto da Miguel Rosa é liberado após técnicos do DER, examinarem o local

Viaduto foi interditado ontem á noite, depois de vídeo expondo danos cair na internet

Foto: Reprodução / Internet Bombeiros interditam elevado da Miguel Rosa após surgimentos de rachaduras
Bombeiros interditam elevado da Miguel Rosa após surgimentos de rachaduras

Viaduto da Avenida Miguel Rosa, na manhã desta quarta-feira (15) foi liberada após passar por avaliação feita pelo departamento de Estradas de Rodagem do Piauí (DER). O elevado havia sido interditado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Piauí depois de um vídeo que mostrava avarias na estrutura, viralizar nas redes sociais.

Foto: Reprodução / InternetAvarias no viaduto da Miguel Rosa
Avarias no viaduto da Miguel Rosa

Em entrevista o diretor do DER, afirmou que não existe risco de desabamento. Por conta disso, o tráfego foi liberado mas uma nova interdição no viaduto ocorrera durante o período para reparo das rachaduras. 

Segundo o órgão, engenheiro avaliou a estrutura do elevado e constataram que o viaduto não apresenta risco de desabamento. Os técnicos verificaram que há uma deformação no aterro da rampa de acesso ao viaduto, o que aumentou a diferença de nível entre essa e a estrutura do viaduto.  “Isso causou um impacto maior sobre a estrutura embaixo e deu um problema no concreto”, diz o diretor do DER, Castro Neto.

O engenheiro do DER Matias Sales explica que houve um pequeno afundamento na parte superior da superfície do asfalto. “Pode ter sido por conta do movimento dos carros, pois há uma flexibilidade nas longarinas de aço. Nesse movimento das longarinas é que houve o desplacamento da cortina. No entanto, é uma viga em balanço, não tem nenhuma função estrutural e por isso não há riscos”, afirmou o engenheiro.

De acordo ainda com o engenheiro, será feita a recuperação do pedaço que rompeu do concreto, que faz parte da cortina de contenção da rampa de acesso ao viaduto.

“A construtora foi notificada e vamos nos reunir com eles e com o projetista para traçar um plano de recuperação do aterro e da parte em concreto, algo que será feito com agilidade. Traçado o plano, divulgaremos o início das obras”, conclui Castro Neto diretor do DER

Fonte: Redação

Deixe seu comentário